Gig Economy, economia sob demanda, trabalho autônomo: não importa o nome, a economia freelancer é um mercado que cresce todos os anos.

Dados do mercado freelancer no Brasil demonstram uma curva crescente no setor
desde que essa modalidade de trabalho veio a se tornar uma alternativa cada vez mais
procurada por profissionais que querem aumentar a renda, desfrutar de horários
flexíveis ou desenvolver um plano B para a carreira – além, é claro, daqueles que são
lançados à vida de autônomo não por escolha, mas por terem perdido o emprego.

Do outro lado estão as empresas que descobriram os benefícios de contratar
profissionais que atuam de forma autônoma 
por conta de vantagens como remunerar
por projeto ou por horas alocadas, reduzindo assim os custos fixos do vínculo
empregatício, bem como os inerentes à disponibilização de espaço físico e
infraestrutura.

Pesquisas realizadas na União Europeia e no Brasil, apontam que dentre as 10
profissões e carreiras mais promissoras para essa década, todas estão diretamente
relacionadas à tendência da digitalização.
Em quarto lugar na pesquisa, está a carreira de assistente digital.

Perante os últimos acontecimentos decorrentes da pandemia da Covid-19, milhares de
empresas tiveram que adaptar suas relações de trabalho, proporcionando condições
para que seus colaboradores pudessem executar suas tarefas de forma remota.

Algumas empresas já começam a perceber que boa parte de suas
demandas podem ser realocadas para profissionais que atuam de forma autônoma:
seja por projetos específicos ou por horas contratadas.

Outra vantagem para esse tipo de contratação é que além da redução dos custos, as
empresas que contratam nessa modalidade, passa a contar com a competência de
profissionais que, na grande maioria, são altamente qualificados e com vasta
experiência no mercado.

O Cenário Projetado para esse mercado, que já era extremamente promissor, tende a
crescer ainda mais em decorrência da previsão de uma grave crise econômica que
forçará as empresas a reverem seus custos, ao mesmo tempo em que surgem novas
oportunidades de trabalho agora impulsionadas pela digitalização de processos.

Portanto, não há melhor momento do que esse: tanto para quem quer trabalhar de
casa e gerar renda à partir de suas habilidades, quanto para quem deseja contratar
serviços que podem ser executados de forma remota.

Mas, afinal o que um profissional precisa para começar a trabalhar como assistente virtual?

Siga-a-tendencia-do-mercado-e-saiba-como-se-tornar-assistente-virtual

Para atuar como assistente virtual, você precisa combinar suas habilidades
comportamentais (as chamadas soft skills), como criatividade, empatia e capacidade
de adaptação, com suas competências técnicas (ou hard skills), que podem ser desde
sua formação profissional até sua experiência em determinada função, mesmo que
você não tenha tido acesso a uma graduação.

Considerando a gama de oportunidades de trabalho para um assistente virtual, você
pode começar por tarefas mais básicas, e à partir disso oferecer outras que requerem
conhecimentos mais específicos, aumentando seus ganhos conforme a complexidade e
tempo de execução.

Você pode trabalhar o quanto, onde e como quiser, e ainda ter a chance de
desenvolver outras habilidades e competências
 ao longo da vida, o que hoje é
considerado essencial para se manter no mercado.

Você pode começar o seu trabalho como assistente virtual com o que você dispõe de
recurso, sem a necessidade de maiores investimentos em estrutura.

Inicialmente, use o seu perfil pessoal para começar a se apresentar como assistente virtual para sua rede. Mas se você preferir não misturar sua vida pessoal e profissional, abra separadamente uma conta de mídia social especificamente para fins de trabalho e vá gradualmente construindo sua marca como assistente virtual.

Você pode começar a prospectar seus potenciais clientes também através das mídias
sociais: visite algumas fan pages e analise os negócios que possam se interessar pelo seu
trabalho. Busque interagir com ele e compreender de que forma que pode lhe oferecer uma
proposta de valor que o atraia.

À medida que for conseguindo os primeiros clientes, peça-lhes gentilmente que
elaborem um depoimento sobre sua prestação de serviços. Isso a ajudará a construir
sua reputação e poderá lhe servir para conquistar novos clientes.

A carreira de assistência virtual pode ser um grande desafio.
Mas também pode ser uma grande oportunidade para quem busca alcançar mais
autonomia, conquistando maior flexibilidade para conciliar vida
pessoal e carreira

E se quiser se preparar ainda mais para se tornar um assistente virtual, visite nosso
site: www.comoserassistentevirtual.com.br